Escrevo porque...


   … Na escrita canto e danço e já não há tempo para chorar.
   Encontro nela o poder que me aconchega, como uma fogueira que me aquece num inverno perpétuo, onde se moldam as palavras nas mãos inábeis de uma criança e se forma imperfeito, um boneco de neve que derrete. Derrubo-o e rio-me com prazer das emoções dispersas. Depois lanço-me no chão, espojo-me nelas para sentir o caminho feito de passos que o pisam, percorrido na busca infinda de um sonho distante. 
   Nas palavras solto a saudade daquilo que nunca tive; por entre ela se ordenam os pequenos estilhaços de uma vida e lentamente compõem-se as respostas.

   Aqui onde o rosto permanece escuro e a máscara se ausenta apenas da alma, não há tempo, nem forma… Aqui, não existe nada.

34 comentários:

  1. Não é necessário conhecer o teu rosto, para reconhecer a tua alma... não deixes nunca de escrever... aqui também alimento a minha alma...

    Obrigada, um beijinho

    ResponderExcluir
  2. Já escrevi um texto que falava sobre a saudade do que eu não tive. É um sentimento que não consigo falar, mas posso colocar em letras, em palavras. E escrever faz bem para a mente, para o coração. E os seus textos, suas poesias são um reflexo daquilo que você é: uma pessoa sensível e humana. Parabéns, que continue escrevendo desta forma. Abraços!

    ResponderExcluir
  3. O prazer retirado da leitura das palavras que aqui me recebem, é enorme....

    Kiss*

    ResponderExcluir
  4. obrigada :)
    mas pode nao ser de mim, tbm escrevo os outros :)
    espero qe continues a escrever entao com toda esta motivaçao*

    ResponderExcluir
  5. Olá Natacha! E o que dizer?!!! Só me resta prometer que continuarei a escrever, embora às vezes ache que não faça grande sentido... Um beijinho também para ti.

    ResponderExcluir
  6. Obrigado JDMatos! Escrever faz de facto bem à mente e ao peito. Sempre ajuda a esquecer um pouco este mundo medonho que nos rodeia. Um abraço!

    ResponderExcluir
  7. Olá Blood Tears, faz tempo que não te «via». O prazer é todo meu, em ter-te por aqui... Beijinho.

    ResponderExcluir
  8. Pois é Mafalda, tens toda a razão. Por isso já reformulei ;) Eu é que agradeço e espero que nos continues a contemplar com os teus maravilhosos poemas. Um abraço.

    ResponderExcluir
  9. Aqui neste cantinho mascarado, podem não existir rostos, mas certamente existem muitas coisas. Novos mundos, emoções fortes, palavras que nos transportam para longe de nós... Aqui não existe nada? Não concordo: aqui existe talento! :)
    Continua a escrever!
    Boa semana

    ResponderExcluir
  10. Moon: chegas e arrasas sempre. Que vício esse :) Que capacidade essa, de sonhares e fazeres sonhar nas tuas palavras(até num comentário). Já te agradeci alguma vez? :) Como também nunca será demais, aqui vai o meu sincero obrigado. O teu apoio tem sido muito importante...

    ResponderExcluir
  11. Entras no meu desafio?? :)

    http://desafiote-desafiarme.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. muito obrigada :) é sempre bom saber que há quem leia o que escrevo e aprecie*

    ResponderExcluir
  13. Cláudio, na escrita colocamos todo sentimento que as pessoas não tem paciência para apreciar na conversa cara a cara.Escrever é poder deixar transparecer o mais íntimo de nós, aquilo que para muitos parece piegas.Quem se importa? No fundo, todos somos um pouco piegas,um pouco tristes,um pouco alegres,saudosos,maus,bons...Aqui encontramos um pouco de liberdade , äs vezes sem rosto, noutras sem nome. E só nos "ouve"aquele que quer nos ouvir.

    Um grande beijinho,amigo.

    ResponderExcluir
  14. De nada Mafalda. Tenho a certeza que há mesmo muita gente que aprecia o que tu escreves. É impossível não gostar :)

    ResponderExcluir
  15. Olá Ivete, ainda bem que está tudo bem contigo. Isso é o mais importante. Tens toda a razão no que disseste, afinal, tens sempre razão. Parece-me que desse lugar alto onde te encontras, a vista é sempre plena e nítida. Sabes, das coisas que mais amo e da qual mais falta sinto, é de uma boa conversa. Daquelas em que falamos de tudo e nem damos conta das horas passarem. Um beijo grande para ti minha doce amiga.

    ResponderExcluir
  16. Ui...fiquei preocupada! Não tenho tanta razão assim :))
    Mas sabes que também tenho saudade de um bom papo? Uma dessas conversas regadas a um bom vinho, ou uma cervejinha, mas nada em excesso para que não se perca o rumo da prosa. E pode também ,além da conversa, ter uma modinha de viola aqui e ali pra enfeitar.Ai,ai... Eu gosto!
    Um beijinho,amigo. Bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  17. Senti cada palavra.

    De facto, a escrita, a Arte, é a única forma de falar sem se ser interrompido.

    ResponderExcluir
  18. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog "luz pra viver". Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  19. ..aqui, existe tanto..
    Cláudio, dizia eu um dia 'quando escrevo, danço e quando danço sou feliz'..
    Tinha saudades de ler-te.. adoro o que escreves e a forma como o fazes..

    Um grande beijinho :)

    ResponderExcluir
  20. Olá Ivete, desculpa só responder agora. Já tinha percebido que tínhamos gostos em comum, talvez seja por fazermos anos muito perto um do outro. Eu adoro uma boa conversa, um bom vinho a descontrair um pouco o ambiente (aqui em Portugal temos tantos e tão bons), e vou-te dizer uma coisa que não sabias, eu toco viola ;) Um beijinho grande e tudo de bom para ti e para os teus.

    ResponderExcluir
  21. Olá Maria, sem dúvida, é um facto… Obrigado pela visita, é muito agradável ter-te por aqui :)

    ResponderExcluir
  22. Olá Nayara! Vou já, já espreitar ;)

    ResponderExcluir
  23. Bem Ametista :) Esta foi a melhor surpresa! Espero que o facto de teres vindo aqui seja porque estás melhor. Isso agora é o mais importante. Tinha mesmo saudades tuas e acho que mais gente se queixava do mesmo vazio. Um beijinho grande, um abraço bem apertado e obrigado por este sorriso que me colocaste no rosto.

    ResponderExcluir
  24. Querido Cláudio, as saudades eram tantas que tinha de voltar.. de resto, não te preocupes.. tudo se resolve, não é?
    Com palavras assim, fico sem saber o que dizer..
    Obrigada pelo carinho, obrigada pelo teu sorriso.. também tu me fizeste sorrir..

    Um grande beijinho com saudade e um abracinho apertado :)

    P.S. Estou a ver que há muito para ler por aqui.. e leitura de uma qualidade extrema..

    ResponderExcluir
  25. Claro Ametista, tudo se resolve, mesmo!Pensamento positivo é um grande remédio. E não te preocupes quando te faltarem as palavras, há silêncios tão esclarecedores :)

    ResponderExcluir
  26. Oi Cláudio, entao tu tocas viola? Ora vejam só, que maravilha! Pois não me surpreende nenhum pouco.Parece ter tudo haver contigo!Mas viola é força de expressão: em geral, nas rodas o mais popular por aqui é o violão.No entanto é difícil eu não gostar do som de algum instrumento de cordas.
    Pois quando eu for a Portugal( um dia eu vou :)))) haverás de tocar tua viola e haveremos de cantar um pouquito... e tomar um vinho, é claro!

    Beijinhos,meu amigo :))

    ResponderExcluir
  27. Quem ama a escrita não chora...sente a alma cheia. E quem escreve bem sente as mais variadas emoções ao fazê-lo. É o teu caso.
    Abraço

    ResponderExcluir
  28. Pois é Ivete, o que eu toco mesmo é violão(entre outros instrumentos). Nós em Portugal chamamos viola ao que vocês no Brasil chamam de violão. Gosto de utilizar a música como meio de comunicação ou até mesmo de socialização, afinal a música é universal ;) Tenho tanto prazer quando estou num grupo de amigos, uns tocam viola, outros cantam e nem damos conta do tempo passar. Há uma coisa que também faço de vez em quando é juntar-me numa roda de tambores e fico ali sem falar, com o meu djembé e apenas ele «fala». Aquelas batidas, todo aquele ritmo enche-me a alma de uma maneira inexplicável. Há um instrumento bem Brasileiro que também adoro tocar nessas rodas de tambores, é o berimbau ;) Tem um som muito penetrante e envolvente.
    Então está combinado Ivete, só falta tu vires ;)

    ResponderExcluir
  29. Olá Ónix, que bom ter-te aqui :) Gosto muito de escrever, embora por vezes não tenha muito tempo, outras tenho tempo mas falta-me a paciência. Mas é na escrita que sinto uma enorme liberdade, é ela que me permite deitar para fora coisas que de outra forma não consigo. Obrigado pelo apoio, são pessoas como tu que me fazem continuar a colocar aqui os meus desabafos. Um abraço para ti também.

    ResponderExcluir
  30. Pôxa Cláudio, percebi que gostas mesmo de música! E de comunicação verdadeira... Sei que quando se toca um instrumento, esta pode ser uma das formas mais perfeitas de comunicar, pois o fazemos com a alma.O som do Berimbau é uma delícia.Embora não seja tão comum aqui na minha região já tive o prazer de acompanhar algumas vezes as rodas de capoeira.
    Caraca! Temos mesmo alguns gostos em comum. :)) Um dia ainda havemos de cantar um pouquito juntos!

    Beijo grande,amigo.

    ResponderExcluir
  31. Está combinado Ivete, um dia passaremos um serão agradável, eu toco o meu violão e tu cantas( não sou lá muito jeitoso a cantar,eheheh) Já te devo ter dito imensas vezes, mas vou dizer de novo, foi um prazer ter-te conhecido. É de pessoas assim, cheias de boa energia, que quero estar sempre rodeado. Um beijinho enorme minha querida amiga :)

    ResponderExcluir
  32. Ok,então! Já percebi que gosto mesmo mais de cantar do que de tocar :))
    Também eu tive imenso prazer em te conhecer! Somos dois carneiros com boas energias :))

    Bjs

    ResponderExcluir
  33. Então assim é perfeito , tu cantas e eu toco ;)

    ResponderExcluir